Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/07/19 às 19h21 - Atualizado em 15/07/19 às 19h23

Delegação do Governo do Distrito Federal visita projeto Noroeste Empreendedor

COMPARTILHAR

Uma equipe composta por integrantes da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri/DF), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/DF) e da Vigilância Sanitária do DF, conheceu nessa sexta-feira (12), em Unaí (MG), o Projeto Noroeste Empreendedor. O objetivo da visita foi conhecer o trabalho que vem sendo desenvolvido na legalização de pequenas agroindústrias e de produtos da Agricultura Familiar naquela região.

 

O projeto é uma parceria entre o Consórcio de Saúde e Desenvolvimento dos Vales do Noroeste de Minas (Convales), Vigilância Sanitária de Unaí (MG), Associação dos Municípios do Noroeste de Minas (Amnor), Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas (Emater/MG), Cooperativa Agropecuária de Unaí (Capul), entre outros, que juntos fomentam as atividades do projeto.

 

Durante a visita, a delegação teve a oportunidade de conhecer a Fábrica de Laticínios Agroindustrial Macaúbas (Queijos Iuna), onde são produzidos queijos padrão, temperados, trufados, maturados e ralados. Também tiveram a oportunidade de conhecer a Agroindústria M&M, no Assentamento Boa União, próximo a Ruralminas (MG), que produz mandioca minimamente processada, farinha de mandioca, farinha de milho, polvilho, castanha de baru, açafrão, tempero alho e sal e rapadura.

 

Segundo o diretor de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal e Animal (Dipova), Marco Antonio de Azevedo, o projeto envolve nove municípios do Noroeste Mineiro e mais um município de Goiás. Segundo ele, o projeto tem o objetivo de promover o registro e o desenvolvimento das agroindústrias locais e tirar, principalmente, as pequenas agroindústrias da informalidade, por meio desse consórcio.

 

Marco Antônio explicou que algumas situações chamaram a atenção da equipe, que teve a oportunidade de conhecer a integração entre a Vigilância Sanitária e o Serviço de Inspeção, subordinado à Secretaria de Agricultura municipal, onde, segundo ele, estão bem definidos as atribuições de cada ente envolvido.

 

“Eles trabalham de forma integrada, economizando recursos públicos e legalizando o maior números de agroindústrias. Também conhecemos o desenvolvimento de pequenas agroindústrias artesanais, onde não é necessário grandes investimentos em infraestrutura, porém atendem perfeitamente as normas sanitárias. Essas foram situações que nós achamos bem positivas e que poderiam ser trazidas para a realidade do DF”, explicou o diretor da Dipova, Marco Antonio de Azevedo.

 

Também foi definida a possibilidade de constituir um acordo de cooperação técnica entre o Serviço de Inspeção do DF e o Consórcio, onde haveria a troca de experiências, promoção de eventos, visitas das equipes envolvidas, entre outros. “A nossa preocupação é tomar essa interação, entre os vários órgãos envolvidos, como modelo. A intenção é não deixar que os pequenos produtores sem uma assistência técnica adequada e saber identificar, em cada produtor, um potencial que pode ser cultivado e financiado para se tornar um produtor de destaque”, avaliou o Gerente de Qualidade Alimentar, Wendel Lago.

 

Texto e foto: Ascom Seagri/DF