Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/05/19 às 18h22 - Atualizado em 10/05/19 às 18h22

DF teve representante em Seminário Internacional sobre Febre Aftosa

COMPARTILHAR

 

A luta para que o Brasil seja considerado país livre da Febre Aftosa sem vacinação está sendo levada muito a sério pelo Distrito Federal, e a Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, está fazendo a sua parte. Uma das coordenadoras de Febre Aftosa e Doenças Vesiculares da Seagri/DF, Denise Ferreira Caldeira, participou, nos dias 2 e 3 de maio, em Cartagena na Colômbia, da 46ª Reunião do Seminário Internacional da Comissão Sul Americana para a Luta Contra a Febre Aftosa (Cosalfa).

 

Durante o evento, foram debatidas medidas e ações que cada país está tomando e as que devem ser tomadas para a erradicação da doença em toda a América Latina. “Neste evento, delegados do setor público e privado de cada país membro da comissão se reuniram para tratar dessas medidas no combate à Febre Aftosa”, explicou Denise.

 

Segundo ela, os países participantes apresentaram seus programas de erradicação e prevenção da Febre Aftosa e foram debatidas questões como a possibilidade do retorno da doença após a retirada da vacina no Brasil e nos outros países membros, como Bolívia e Uruguai, além de tratar da formação de um banco de vacinas em caso de emergências, entre outras questões importantes. Durante o Cosalfa, também foram debatidas medidas que podem ser adotadas para ajudar a Venezuela, que atualmente vivencia uma crise social e política, a retomar o programa de controle e erradicação da Febre Aftosa.

 

Pré-evento debate situação da Colômbia

 

Nos dias 29 e 30 de abril, foi realizado o Seminário Internacional Pré-Cosalfa “No Limiar da Erradicação da Febre Aftosa”. Durante esse evento de aquecimento para o Cosalfa, foram apresentadas as medidas tomadas pelo Instituto Colombiano Agropecuário (ICA), durante os focos de Febre Aftosa que foram registrados entre 2017 e 2018, e as medidas que o país vizinho está adotando para recuperação do status de livre de Febre Aftosa com vacinação, junto à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).

 

Além disso, o Pré-Cosalfa apresentou algumas medidas que a União Europeia faz no combate à doença, e mesmo sendo considerada livre da Febre Aftosa sem vacinação, possui uma grande estrutura de ações e medidas para evitar que a doença entre nos países membros. Ele explicou que o evento proporcionou uma troca de experiência entre União Europeia e países membros do Cosalfa. “Para a União Europeia, nossa atual experiência com vacinação em massa dos rebanhos é de extrema importância para casos de reintrodução da Febre Aftosa e eles podem contribuir com treinamentos em emergências e vigilância, já que há anos não registram casos da doença”, afirmou.

 

“O evento também contou com a apresentação de trabalhos pelo Brasil e por outros países, com ações de prevenção e controle da Febre Aftosa, tais como análise de rede de trânsito e de áreas de risco, com o objetivo de apoiar medidas de vigilância sanitária mais direcionadas”, ressaltou a coordenadora de Febre Aftosa e Doenças Vesiculares da Seagri/DF.

 

Texto: Ascom Seagri/DF