Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
6/04/20 às 19h44 - Atualizado em 6/04/20 às 19h44

Programa de Aquisição de Alimentos ajuda a reduzir impactos da pandemia de Covid-19

COMPARTILHAR

Ação auxilia no escoamento da produção de agricultores familiares e na oferta de alimentos a pessoas em situação de risco

 

Nesta segunda-feira (6) foram entregues 4,4 toneladas de alimentos e 250 quilos de bolo por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), provenientes de 18 agricultores familiares, para 30 instituições que atendem pessoas em situação de risco alimentar e social. Asilos, abrigos e instituições para tratamento de dependentes químicos estão entre os beneficiados.

 

No total estão sendo destinados R$ 1,5 milhão para o PAA, com recursos do Ministério da Cidadania. O programa conta com 1.033 agricultores cadastrados na Secretaria de Agricultura do Distrito Federal (Seagri-DF), que fornecem alimentos como frutas, verduras e hortaliças, como: abóbora seca, tomate, goiaba, abacate, entre outros, além de bolos produzidos por agricultoras familiares.

 

“A Seagri, como executora do Programa de Aquisição de Alimentos, é responsável pelo cadastro dos agricultores e dos produtos a serem adquiridos, além de todo o processo que envolve a compra e o pagamento dos agricultores familiares”, esclarece o diretor de Compras Institucionais da Seagri, Lúcio Flávio.

 

Os agricultores entregam seus produtos às segundas-feiras no Banco de Alimentos, localizado nas Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF), mediante planejamento de entregas, realizado com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF). O Banco de Alimentos é responsável pelas doações às entidades sociais e auxílio na definição das quantidades e tipos de alimentos a serem adquiridos.

 

Além de ajudar as instituições sócio assistenciais, o programa auxilia no escoamento da produção dos agricultores familiares. “Essas últimas semanas foram muito ruins de venda. Mas agora, com as compras institucionais, começou a melhorar. Eu sou um dos primeiros a entregar pro Governo aqui no Distrito Federal. Todo ano eu entrego, e toda a vida o PAA foi bom pra mim”, afirma o produtor rural Luiz Sérgio Pereira.

 

Para o secretário de Agricultura, Luciano Mendes, “com essa articulação eficiente e vontade de ajudar aos que mais precisam, seja as famílias em condições de vulnerabilidade social em uma ponta ou aos agricultores familiares em outra, Seagri, Sedes, Emater, Ceasa, Banco de Alimentos e Conab, juntas, estão fazendo a diferença. Nosso muito obrigado a todos os envolvidos”.

 

 

Matéria publicada no site da Agência Brasília, com informações da Ascom – Seagri

 

Foto: Agência Brasília