Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/02/20 às 9h52 - Atualizado em 10/02/20 às 11h25

Reunião com dirigentes de cooperativas debate papel do BRB no desenvolvimento do agronegócio

COMPARTILHAR

 

O presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa, recebeu na tarde desta sexta-feira (07), o secretário de Agricultura do Distrito Federal, Luciano Mendes, o presidente da Cooperativa Agrícola da Região de Planaltina-DF (Cootaquara), Maurício Severino de Rezende, o presidente da Cooperativa Agrícola do Rio Preto (Coarp), Valter Baron, o diretor secretário da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), Derci Cenci, além do presidente da Federação da Agricultura (Fape-DF), Fernando Cezar Ribeiro.

 

O objetivo da reunião foi debater o papel do BRB no financiamento dos produtores rurais do DF e o fortalecimento da instituição junto a toda cadeia produtiva. Eles alegaram que muitos agricultores ainda não sabem que podem utilizar os Contrato de Concessão de Uso Oneroso (CDU) e a Concessão de Direito Real de Uso (CDRU), para pleitear empréstimos junto à instituição financeira e que isso acaba dificultando a obtenção de recursos.

 

O presidente da Coarp, Valter Baron, disse que é necessário dar mais publicidade a essa questão e lembrou ainda que o DF possui produtores de ponta e que com acesso facilitado ao crédito, podem ajudar no crescimento da economia e na geração de empregos. “Vocês estão com a nata dos produtores. Os produtores da região são capitalizados e aqui não existem aventureiros”, afirmou Baron, completando que, apesar das dificuldades, o trabalho do BRB está no rumo certo e com boa receptividade por parte dos produtores.

 

Segundo o presidente da Fape-DF, Fernando Cezar Ribeiro, existem diversos seguimentos do agronegócio com perspectiva de crescimento no DF, e citou que, só o setor de avicultura poderá investir até R$ 150 milhões em 2020. “O BRB precisa ser o protagonista do agronegócio. Vamos colocar a Federação e todo o sistema produtivo à disposição da instituição”, reiterou.

 

O presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, ressaltou que a instituição deve cumprir o papel de um banco público de desenvolvimento e que a área rural não pode ficar de fora. Ele explicou que em 2019 a instituição realizou cerca de R$ 240 milhões em operações de crédito com o setor agropecuário, e que para 2020, o objetivo é chegar aos 500 milhões em crédito. “Crescemos bastante no agronegócio e nós precisamos ocupar um espaço que já deveria ser nosso. Queremos entender a realidade local e combinar ações em relação ao setor”, afirmou.

 

Já o secretário de Agricultura, Luciano Mendes, elogiou a reunião e a participação dos presidentes das cooperativas nessa interação com o BRB. Ele disse que foi um momento de ouvir as sugestões e críticas do seguimento e que todas elas foram muito bem recepcionadas. Mendes lembrou que o papel da Seagri é dar credibilidade a todo esse processo. “Foi uma ótima reunião e colocamos o que tem afetado o setor agropecuário do DF e acho que isso só tem a agregar. Saímos de fato com as sugestões e aceitamos as críticas. Vimos também que há necessidade de pensar mais formas de aproximação do Banco com os produtores”, explicou.

 

“O que ficou acertado de fato é que é necessário maior divulgação para os produtores, da possibilidade que eles têm, junto ao BRB, de utilizar suas CDUs e CDRUs como garantidores de crédito. Acho que essa é uma questão importante. Daqui pra frente, nos médios e grandes eventos, nós teremos uma participação muito maior do BRB para que a instituição possa ter a oportunidade de divulgar seus produtos junto aos agricultores. E por fim, nós saímos da reunião com o compromisso de a cada dois meses, aproximadamente, nos reunirmos novamente para analisar, de forma rotineira, as melhorias sugeridas”, completou o secretário de Agricultura, Luciano Mendes.

 

 

Durante a reunião ficaram acertadas as seguintes questões:

– Realizar essas reuniões a cada 60 dias;
– Realizar reuniões nos núcleos rurais;
– Realizar mais visitas aos produtores em suas propriedades;
– Disponibilizar um cartão do produtor para uso exclusivo em investimentos na propriedade rural;
– Instalar pontos de atendimento nas áreas rurais em cooperativas e associações;
– Maior divulgação de que o BRB aceita a CDU e a CDRU como documentos garantidores de crédito;
– Fazer o microcrédito rural avançar;
– Mais linhas de crédito para instalação de energia solar nas propriedades e divulgação das existentes;
– Maior apoio aos eventos do agro.

 

Também participaram da reunião, o secretário-executivo da Seagri, Vilmar Ângelo; a chefe da Assessoria de Políticas Públicas de Desenvolvimento Rural, Cristyanne Taques; o diretor-executivo da Emater-DF, Antônio Dantas; o 1° Vice Presidente da Fape-DF, Rogério Tokarski; o gerente da Cootaquaa, Cairo da Rocha Rezende; o gerente de Desenvolvimento do BRB André Perezino; o diretor de rede do BRB, Dario Oswaldo; a gerente de área do BRB, Thays Macedo de Melo e a gerente geral de agronegócio, Rayssa de Melo Feitosa.

 

Texto e Fotos: Ascom Seagri-DF

 

 

 

Veja também: