Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
24/09/19 às 9h09 - Atualizado em 24/09/19 às 9h10

Seagri cria GT com objetivo de ampliar cadeia de flores

COMPARTILHAR

 

A Secretaria de Agricultura (Seagri-DF) publicou uma portaria no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) criando um grupo de trabalho para estudar a cadeia produtiva da floricultura no DF. O objetivo é analisar formas de aumentar a produção e exportação de flores e plantas ornamentais, ampliar a rede produtiva para os municípios do Entorno do DF e transformar a capital federal em um polo de distribuição.

 

O grupo, composto por representantes das secretarias de Agricultura, Desenvolvimento Econômico e Relações Internacionais, além da Emater-DF e Ceasa-DF, deve se reunir nos próximos dias para definir as estratégias de trabalho. A portaria foi instituída durante a 7ª edição do FestFlor Brasil – Feira de Flores, Decorações, Paisagismo e Plantas Ornamentais, que ocorreu no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade.

 

De acordo com a engenheira-agrônoma Loiselene Trindade da Rocha, coordenadora do Programa de Floricultura da Emater-DF e integrante do grupo de Trabalho, o espaço para crescimento da floricultura no Distrito Federal é grande. “A capital do país tem um grande público consumidor, com alto poder aquisitivo, o que potencializa as oportunidades não só de produção como distribuição de flores e plantas ornamentais”, observa.

 

A presidente da Emater-DF, Denise Fonseca, aponta que o desenvolvimento da cadeia produtiva de flores é um dos objetivos da empresa. “É um setor importante, que gera emprego e renda para os nossos produtores. Além disso, temos um grande mercado que podemos atender com a produção local, o que estimula o setor e aquece a economia do Distrito Federal”, analisa a dirigente.

 

No Distrito Federal, o mercado de flores e plantas ornamentais movimenta cerca de R$ 200 milhões por ano e emprega ao menos 3 mil pessoas. O objetivo do Sistema Público da Agricultura é aumentar esses índices, uma vez que apenas 20% do total do setor é produzido na própria região — os 80% restantes vêm de outros estados, especialmente São Paulo.

 

Expedição Safra é lançada durante FestFlor

 

A Expedição Safra – Floricultura foi lançada durante a FestFlor Brasil. A iniciativa tem o intuito de apresentar os diagnósticos da produção local com o objetivo de subsidiar o trabalho da Emater junto aos agricultores. O Distrito Federal possui 139 produtores de flores e plantas ornamentais, destes, 100 estiveram presentes na edição de 2019 da FestFlor Brasil.

 

Serão aplicados questionários de diagnósticos que irão para todas as 16 unidades locais da Emater. A coordenadora do programa de floricultura da Emater, Loiselene Trindade, disse que a expectativa é de que até o dia 15 de outubro, os questionários já tenham sido aplicados. “O resultado vai auxiliar os técnicos da Empresa no trabalho junto aos produtores, na tomada de decisão em relação à produção e quanto à comercialização. Este será o segundo estudo referente ao perfil da cadeia produtiva de flores e plantas ornamentais. O primeiro foi feito em 2005 e pretendemos atualizar as informações a cada dois anos”, explicou Loiselene. 

 

O secretário de Agricultura, Dilson Resende, também comentou a respeito da Expedição e ressaltou sua importância.  “A Expedição Safra faz um diagnóstico da cadeia produtiva, nesse caso, das plantas ornamentais, sobre o viés tanto do produtor, quanto dos gargalos da cadeia. É uma parceria conduzida pela coordenadora do programa de floricultura da Emater, Loiselene Trindade, e realizado pela Secretaria de Agricultura, a própria Emater-DF, as Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (CEASA-DF) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa-DF) e demais parceiros que queiram agregar”, afirmou o secretário.

 

Balanço positivo

 

Para o engenheiro-agrônomo Cleison Medas Duval, um dos extensionistas que esteve à frente da organização da 7ª FestFlor, o evento cumpriu satisfatoriamente seus objetivos. “Reunimos mais pessoas do que nos anos anteriores, especialmente produtores rurais, paisagistas, decoradores e atacadistas, que se envolveram com a feira, trazendo um público maior e mais diversificado”, comemora. Os 200 estandes montados no Pavilhão de Exposições atraíram milhares de visitantes e resultaram em cerca de R$ 3 milhões em negócios.

 

O produtor de flores Francisco Ferreira de Araújo, da Colônia Agrícola Rajadinha I (região administrativa de Planaltina), ficou bastante satisfeito com os quatro dias da feira. “Tivemos mais de R$ 5 mil de lucro. No entanto, o importante foram os contatos que fizemos, o que nos permitirá realizar mais negócios nos próximos meses”, avalia.

 

*Com informações da Emater-DF