Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
8/07/19 às 16h43 - Atualizado em 8/07/19 às 16h43

Secretaria é destaque em avaliação da qualidade do serviço de defesa agropecuária

COMPARTILHAR

 

O serviço veterinário da Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal (Seagri/DF), apresentou a melhor média de notas nas auditorias do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), dentre os estados integrantes do bloco IV, onde fazem parte – além do DF – Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo, Bahia, Tocantins e Sergipe.

 

Para atingir o status sanitário de área livre de aftosa sem vacinação, o Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA) determinou critérios técnicos, estratégicos, estruturais e geográficos, que resultaram no agrupamento das unidades da Federação em cinco blocos. A iniciativa visa facilitar o processo de transição de zonas livres de Febre Aftosa com vacinação, para livre sem vacinação. O objetivo é que o Brasil seja considerado país livre da Febre Aftosa sem vacinação em 2023.

 

Foram avaliados itens como: controle de cadastro de produtores, propriedades e animais; estabilidade das estruturas e sustentabilidade das políticas sanitárias; supervisão e controle interno; seleção, capacitação técnica e educação continuada dos servidores; organização dos processos e unidades; planejamento e direcionamento da vigilância veterinária; capacidade para atendimento à suspeita e atuação em emergências; capacidade para detecção precoce e notificação imediata de doenças; sistema de Informação zoofitosanitárias, epidemiologia (estrutura, organização e funcionamento) e competências e independência técnica.

 

“Na última reunião do Bloco IV, o Mapa apresentou os resultados das auditorias realizadas nos estados que integram o Bloco e, as notas do DF, em vários itens avaliados, evidenciaram a qualidade do serviço veterinário oficial da SEAGRI-DF”, ressaltou a Analista de Desenvolvimento e Fiscalização Agropecuária e Médica Veterinária da Coordenação de Febre Aftosa e Doenças Vesiculares da Diretoria de Sanidade Agropecuária e Fiscalização da Secretaria de Agricultura (DISAF), Priscilla Pereira Moura, que completou dizendo que “apesar do destaque, há muito o que melhorar ainda”.

 

Segundo o Diretor de Sanidade Agropecuária e Fiscalização da Seagri/DF, Vinicius Eustáquio Barreto Campos, essa boa avaliação que o DF recebeu do Mapa, se deve principalmente ao planejamento das atividades e à dedicação e constante capacitação dos técnicos e servidores da Casa. “A capacitação da nossa equipe, não só estimulada internamente com cursos, seminários e palestras, mas através de pós-graduações e mestrados, ou até mesmo segunda graduação, foi fundamental para alcançarmos tal status. Eu destaco o setor de epidemiologia, o cérebro da Defesa, além dos nossos programas sanitários que tem um canal aberto com o setor produtivo”, destacou.

 

“O nosso principal desafio hoje, é a manutenção dessa nota. A gente precisa manter o que temos feito de excelência, o que é um desafio para todo o nosso pessoal. Essa nota não veio de um dia para o outro, mas de anos de dedicação de toda a equipe envolvida”, avaliou Vinicius Eustáquio.

 

Texto: Ascom Seagri/DF